woohoo news

notícia


9/5/2012

Billabong Rio Pro começa quarta-feira no Arpoador

Mineirinho, defensor do título, e Gabriel Medina, grande nome da nova geração, se dizem prontos para a pressão por surfar em casa. Slater, machucado, desiste da etapa


Com a expectativa de boas ondas, começa nesta quarta-feira o Billabong Rio Pro, terceira etapa do ASP World Tour, o Circuito Mundial de Surfe Profissional. A grande novidade deste ano em relação a 2011 foi a mudança da sede principal na Barra da Tijuca, da altura do Posto 4 para o Postinho. As sedes alternativas serão no Arpoador, repetindo o ano passado, e Canto do Recreio, e as disputas acontecerão na praia que apresentar as melhores condições. E já foi confirmado que nesta quarta-feira as disputas começarão no Arpoador, às 7 horas.

Durante a entrevista coletiva que abriu oficialmente o evento, nesta terça-feira, foi anunciado que o onze vezes campeão mundial Kelly Slater, com um corte no pé, não virá ao Rio. Um dos responsáveis pela etapa brasileira, ao lado de Xandi Pontes, o ex-surfista Teco Padaratz comandou a abertura, no Hotel Royalty, na Barra da Tijuca. Os brasileiros, Adriano de Souza, defensor do título na etapa brasileira e vice-líder do ranking, e Gabriel Medina, que vem de uma vitória arrasadora na etapa do WQS em Trestles, na Califórnia, falaram da pressão de surfar em casa.

"Sei da pressão que existe. Por isso, abri mão de competir na Califórnia para chegar antes ao Rio, treinar nas ondas da competição. Estou me preparando ao máximo para defender o título e conto com o apoio da torcida, fundamental na minha vitória do ano passado", disse Mineirinho, se referindo as mais de dez mil pessoas que estavam na Barra o empurrando na final contra o australiano Taj Burrow.

A pressão sobre Medina é um pouco diferente, mas também intensa. O também paulista entrou no WCT na metade da temporada passada, arrombando a porta, com duas vitórias, na França e nos Estados Unidos:

"Sei que tem muita gente curiosa para ver o meu surfe aqui no Brasil e temos de saber lidar com isso. O Brasil tem tradição de ter o maior público das etapas do WCT e vai ser muito legal competir aqui. Vou brigar pelo título", disse Medina.

Mineirinho e Medina são os ponta-de-lança de um dos mais fortes grupos de brasileiros na história do WCT. Além dos dois, estão na elite mundial Raoni Monteiro, Alejo Muniz, Heitor Alves, Jadson André e Miguel Pupo. Completam o time brasileiro na Barra Peterson Crisanto e Tomas Hermes, convidados da organização, e William Cardoso, que entrou na vaga de Slater.

Leandro Valentin, Diretor Executivo de Esportes da GEO Eventos, empresa organizadora da etapa brasileira, ressaltou a importância da etapa carioca para o surfe nacional.

"Nosso objetivo é criar relevância para atrair novos parceiros para esta etapa. E já conseguimos isso ao trazer a etapa para o Rio e também ao oferecer a maior premiação do Tour, com US$ 625 mil no total", disse Valentin.

TRIAGEM FEMININA

Simultaneamente à disputa da terceira etapa masculina, será realizado o Billabong Girls Rio Pro, válido como o quinto desafio do ASP Women´s Tour 2012. Como a cearense Silvana Lima se recupera de uma cirurgia no joelho direito e não poderá participar, o Brasil será representado pela catarinense Jacqueline Silva.

Como no masculino, uma campeã mundial também não vai competir no Rio de Janeiro, a peruana Sofia Mulanovich, mas por problemas pessoais e não contusão. Ela foi substituída por Sarah Mason, da Nova Zelândia. Falta definir apenas quem será a convidada da etapa brasileira do WCT para completar a bateria da própria Sarah Mason, encabeçada pela tetracampeã mundial Stephanie Gilmore.

A vaga será decidida em uma bateria especial entre três surfistas, a atual campeã brasileira Diana Cristina, a índia Tininha, da Paraíba, a vice-campeã Juliana Quint, de Santa Catarina, e a havaiana Alessa Quizon, jovem surfista da equipe Billabong que já vem brilhando na categoria Pro Junior. Caso o início do Billabong Rio Pro seja pela categoria feminina, esta triagem vai abrir o campeonato.

Mineirinho estreia na quarta bateria e se vencer já assume a liderança do ranking

Adriano de Souza vai estrear na quarta bateria do Billabong Rio Pro. Os primeiros adversários do Mineirinho são o australiano Kai Otton e o catarinense Willian Cardoso, que ganhou a chance de disputar o Billabong Rio Pro com a ausência de Kelly Slater na última hora. O anúncio foi divulgado pela ASP na terça-feira, explicando que ele teve que cancelar sua participação porque não pode surfar devido a um profundo corte no pé. Com isso, Adriano de Souza assume a ponta na corrida pelo título mundial da temporada se vencer essa bateria que garante classificação direta para a terceira fase.

No ano passado, Mineirinho liderou o ranking pela primeira vez também no Rio de Janeiro, com a vitória emocionante na final contra o australiano Taj Burrow na Barra da Tijuca lotada. Foi o segundo título do Brasil nos dois anos da Billabong patrocinando a etapa brasileira do WCT. Em 2010, na despedida de Santa Catarina, uma enorme torcida também vibrou bastante na Praia da Vila com o potiguar Jadson André derrotando a fera Kelly Slater na decisão em Imbituba.

Jadson será o primeiro brasileiro a se apresentar no Billabong Rio Pro. Ele entra na primeira bateria com os australianos Josh Kerr e Bede Durbidge. Jadson nem foi competir no ASP Prime da Califórnia na semana passada para prosseguir o tratamento no tornozelo contundido durante a "perna australiana" do ASP Tour, buscando estar melhor preparado para este evento.

Além dos campeões do Billabong Pro no Brasil, outra grande atração do time verde-amarelo é o paulista Gabriel Medina. Ele não brilhou tanto nas duas etapas que abriram a temporada de caça ao título mundial na Austrália, mas acaba de vencer o Prime de Trestles de forma espetacular na Califórnia. Medina estreia na oitava bateria com os australianos Yadin Nicol e Adrian Buchan, uma das suas vítimas nos Estados Unidos. Eles se encontraram na semifinal e nesta bateria o brasileiro ganhou a única nota 10 de todo o evento para somar totalizar incríveis 19,80 de 20 possíveis, outro recorde do campeonato.

PRIMEIRA FASE DO BILLABONG RIO PRO - 1.o=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Repescagem:
1.a: Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS), Jadson André (BRA)
2.a: Jordy Smith (AFR), C. J. Hobgood (EUA), Patrick Gudauskas (EUA)
3.a: Owen Wright (AUS), Raoni Monteiro (BRA), Taylor Knox (EUA)
4.a: Adriano de Souza (BRA), Kai Otton (AUS), Willian Cardoso (BRA)
5.a: Taj Burrow (AUS), Kieren Perrow (AUS), Tomas Hermes (BRA)
6.a: Joel Parkinson (AUS), Matt Wilkinson (AUS), Peterson Crisanto (BRA)
7.a: Julian Wilson (AUS), Brett Simpson (EUA), Fredrick Patacchia (HAV)
8.a: Gabriel Medina (BRA), Adrian Buchan (AUS), Yadin Nicol (AUS)
9.a: Mick Fanning (AUS), Damien Hobgood (EUA), Travis Logie (AFR)
10.a: Michel Bourez (TAH), Miguel Pupo (BRA), Tiago Pires (PRT)
11.a: Jeremy Flores (FRA), Heitor Alves (BRA), Kolohe Andino (EUA)
12.a: John John Florence (HAV), Alejo Muniz (BRA), Adam Melling (AUS)

PRIMEIRA FASE DO BILLABONG GIRLS PRO RIO - 1.a=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Repescagem:
1.a: Courtney Conlogue (EUA), Lakey Peterson (EUA), Sage Erickson (EUA)
2.a: Tyler Wright (AUS), Paige Hareb (NZL), Justine Dupont (FRA)
3.a: Stephanie Gilmore (AUS), Sarah Mason (NZL) + vencedora da triagem
4.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Rebecca Woods (AUS), Melanie Bartels (HAV)
5.a: Carissa Moore (HAV), Coco Ho (HAV), Jacqueline Silva (BRA)
6.a: Laura Enever (AUS), Malia Manuel (HAV), Pauline Ado (FRA)

TRIAGEM PARA A WILDCARD DO BILLABONG GIRLS PRO RIO:
Diana Cristina (BRA), Juliana Quint (BRA), Alessa Quizon (HAV)


todos os programas

todas as notícias

1 |  2 |  3 |  4 |  5 
Próxima