woohoo news

notícia


9/4/2012

ASP unifica a direção dos seus sete escritórios regionais

ASP South America continua comandada por Roberto Perdigão pela excelência do seu trabalho durante os 20 anos de história do ranking de acesso para o ASP Tour


Em 2012 a Association of Surfing Professionals passa a comandar todos os seus sete escritórios regionais do mundo. Os últimos ainda independentes eram os da Europa e da América do Sul, que agora serão dirigidos diretamente pela ASP da sua sede na Austrália. O principal trabalho dos escritórios é a realização de eventos do Circuito Mundial, especialmente os classificatórios para a divisão de elite do ASP World Tour. Neste quesito, a ASP Europe e a ASP South America são recordistas em volume de prêmios e pontos oferecidos para a disputa das vagas para o seleto grupo dos tops da ASP.

Pela excelência do seu trabalho à frente da ASP South America, a ASP oficializou a manutenção do carioca Roberto Perdigão na direção do escritório regional da América do Sul, localizado na Lagoa da Conceição, em Florianópolis (SC). O resultado do seu desempenho é comprovado pelos números da história do circuito qualificatório da ASP, fazendo do Brasil, o "país do futebol", o mais importante de todos no mundo.

"Nesses 20 anos à frente da ASP South America, consegui formar uma equipe de trabalho extremamente competente e com profissionais de alto nível, quando o assunto é o surfe profissional", destaca Roberto Perdigão. "Isso tem gerado muita credibilidade e retorno aos nossos eventos, além de incontáveis benefícios para os nossos surfistas e também para o mercado de uma maneira geral".

O Brasil é recordista em premiação e pontos distribuídos nos 20 anos do sistema implantado pela ASP em 1992, quando o circuito mudou para ASP World Championship Tour, com uma elite de surfistas disputando o título mundial, e ASP World Qualifying Series, para classificar novos atletas a cada ano. De 1992 a 2011, a ASP South America comandada por Roberto Perdigão homologou um total de 144 etapas em sete países da América do Sul.

"Com a ajuda dos nossos parceiros e colaboradores, a ASP South America vem liderando importantes estatísticas da ASP ao longo destes 20 anos, com o Brasil sendo o país que mais dinheiro em prêmios ofereceu, em cerca de 120 eventos", relata Perdigão. "Além do Brasil, já realizamos eventos no Peru, Chile, Argentina, Venezuela e Uruguai, com uma única e clara proposta de fortalecer a imagem do esporte e do surfista profissional sul-americano. E a estratégia vem dando resultado".

Só no Brasil foram 119 etapas do WQS, ASP Prime ou ASP Star de 1992 a 2011, que distribuíram a incrível soma de 8 milhões e 765 mil dólares de prêmios em dinheiro para os surfistas e 213.250 pontos em 34 praias diferentes de oito estados do litoral brasileiro. A ASP South America também promoveu eventos em outros seis países do continente, Peru (10), Argentina (6), Uruguai (4), Chile (3), Equador (1) e Venezuela (1), totalizando 144 eventos em 20 anos.

"Ampliando as nossas fronteiras e estendendo a nossa metodologia de trabalho para outros países da América do Sul e Central, acreditamos estar dando uma importante contribuição para o desenvolvimento do ASP World Tour em nosso continente. Com isso, quem ganha são os nossos atletas...e é para eles que trabalhamos", encerra Roberto Perdigão, que continua o seu trabalho à frente da ASP South America em seu escritório na Ilha de Santa Catarina.

REFLEXO NA ELITE - Este calendário sempre recheado de etapas valiosas serviu de importante plataforma para a classificação de brasileiros para o grupo de elite do ASP World Tour. Em 1992 era só a dupla pioneira do Brasil competindo "full-time" no circuito mundial, Fabio Gouveia e Flavio ‘Teco’ Padaratz. Em 1993 entrou Peterson Rosa, em 1994 já eram nove brasileiros entre os top-44, começando a fazer frente às três potências do esporte, Austrália, Estados Unidos e Havaí.

Em 2001, o número recorde de onze surfistas só não superou a quantidade de australianos. A maioria se classificou computando resultados nas etapas da ASP South America no Brasil. Mais recentemente, o novo fenômeno Gabriel Medina iniciou a arrancada para a sua entrada triunfal na elite do ASP Tour com a vitória no SuperSurf Internacional Prime em Imbituba (SC) no ano passado. Neste ano de 2012, são sete brasileiros entre os top-34, mesmo número de surfistas dos Estados Unidos, com a Austrália mantendo a tradição da maioria na lista.

PAÍSES MAIS IMPORTANTES NAS ETAPAS CLASSIFICATÓRIAS PARA A ELITE MUNDIAL:
1.o- Brasil - premiação total de US$ 8.765.000 e 213.250 pontos em 119 etapas
2.o- Estados Unidos - US$ 7.595.000 e 201.250 pontos em 168 etapas menos valiosas
3.o- Havaí - US$ 5.365.000 e 142.500 pontos em 101 etapas
4.o- Austrália - US$ 4.675.000 e 120.700 pontos em 81 etapas
5.o- França - US$ 4.000.000 e 86.250 pontos em 44 etapas
6.o- Portugal - US$ 3.445.000 e 84.750 pontos em 60 etapas
7.o- África do Sul - US$ 3.020.000 e 72.500 pontos em 47 etapas
8.o- Japão - US$ 2.640.000 e 65.875 pontos em 71 etapas
9.o- Espanha - US$ 2.075.000 e 47.375 pontos em 40 países
10.o- Inglaterra - US$ 1.485.000 e 34.000 pontos em 18 países
Observação: mais 24 países sediaram etapas do extinto WQS ou do ASP Prime e ASP Star

HISTÓRIA DOS ESCRITÓRIOS REGIONAIS DA ASP NO RANKING DE ACESSO PARA O ASP TOUR:
1.o- ASP Europe - US$ 13.450.000 e 310.750 pontos em 201 etapas em 9 países
2.o- ASP South America - US$ 9.765.000 e 240.625 pontos em 144 etapas em 7 países
3.o- ASP North America - US$ 8.630.000 e 221.250 pontos em 196 etapas em 7 países
4.o- ASP Australasia - US$ 6.370.000 e 162.300 pontos em 101 etapas em 6 países
5.o- ASP Hawaii - US$ 5.365.000 e 142.500 pontos em 101 etapas no Havaí
6.o- ASP Africa - US$ 3.020.000 e 72.500 pontos em 47 etapas na África do Sul
7.o- ASP Asia - US$ 2.700.000 e 67.875 pontos em 72 etapas em 2 países

CALENDÁRIO 2012 DAS PRÓXIMAS ETAPAS DA ASP SOUTH AMERICA:
Mai 21-27 - ASP Prime Coca-Cola Saquarema Pro na Praia de Itaúna, Saquarema (RJ) - US$ 250.000 e 6.500 pts
Jun 12-17 - ASP 3-Star Arica Pro Challenge em El Gringo, Arica - CHILE - US$ 55.000 e 750 pts
Jul 24-28 - ASP Womens 6-Star - Copa Movistar Pro apresentada pela Rip Curl em Lobitos - PERU - US$ 40.000 e 3.500 pts
Ago 30-01 - ASP 2-Star Billabong Surf Eco Festival na Praia de Jaguaribe, Salvador (BA) - US$ 30.000 e 500 pts
Out 09-14 - ASP 4-Star "aguardando confirmação" em Mancora - PERU - US$ 95.000 e 1.000 pts
Out 09-14 - ASP Womens 4-Star "aguardando confirmação" em Mancora - PERU - US$ 30.000 e 1.000 pts
Out 16-21 - ASP 6-Star Brasil Open of Surfing no Arpoador, Rio de Janeiro (RJ) - US$ 155.000 e 3.500 pts
Out 23-28 - ASP Prime "aguardando confirmação" na Praia da Vila, Imbituba (SC) - US$ 250.000 e 6.500 pts

SELETIVAS SUL-AMERICANAS PARA O MUNDIAL PRO JUNIOR DA ASP:
Jul 13-15 - Mormaii Pro Junior na Praia da Ferrugem, Garopaba (SC) - 1 Star masc. (US$ 7.000) e 1 Star fem. ($ 2.000)
Jul 21-23 - Rip Curl Pro Junior em Lobitos, Piura - PERU - 3 Star masc. (US$ 15.000) e 2 Star fem. ($ 3.000)
Ago 17-19 - Hurley Pro Junior em local a ser anunciado - 2 Star masc. (US$ 10.000) e 1 Star fem. ($ 2.000)
Ago 24-26 - Quiksilver Pro Junior em local a ser anunciado - 3 Star masculino (US$ 15.000)
Ago 24-26 - Roxy Pro Junior em local a ser anunciado - 2 Star feminino (US$ 3.000)
Ago 27-29 - Billabong Surf Eco Pro Junior na Praia de Jaguaribe, Salvador (BA) - 3 Star masc. ($ 15.000) e 2 Star fem. ($ 3.000)

João Carvalho- Assessoria de Imprensa da ASP South America


todos os programas

todas as notícias

Anterior
 3 |  4 |  5 |  6 |  7 
Próxima