woohoo news

notícia


5/3/2012

Mineirinho é vice na final comTaj Burrow na Austrália

Os juízes não deram a nota da virada no aéreo de Adriano de Souza na última onda que surfou na decisão do título do Quiksilver Pro na Gold Coast


O australiano Taj Burrow largou na frente na corrida pelo título mundial da temporada 2012 do ASP World Tour. O paulista Adriano de Souza quase virou o resultado na última onda da final do Quiksilver Pro, mas recebeu nota 7,60 e precisava de 7,87 pontos para conquistar a vitória em Snapper Rocks. No Roxy Pro, Stephanie Gilmore ganhou a decisão australiana com Laura Enever para colecionar o seu quarto troféu de campeã na Gold Coast.

Taj Burrow festejou o seu segundo em três finais consecutivas na etapa de abertura da temporada na Austrália. Em 2009, em um mar clássico de muitos tubos em Kirra Point, Mineirinho barrou o australiano para fazer sua primeira final no ASP World Tour, quando também foi derrotado por Joel Parkinson. Neste domingo, o mar estava difícil em Snapper Rocks, com ondas de 2-3 pés irregulares formando algumas boas rampas para os aéreos.

Adriano de Souza conseguiu suas maiores notas com a tática de mandar um aéreo reverse como primeira manobra e outro na finalização das ondas. Foi assim que despachou Owen Wright no primeiro duelo do dia, o australiano-voador Josh Kerr na semifinal e na primeira onda que surfou na decisão do título contra Taj Burrow. O brasileiro dominou a primeira metade da final com a nota 8 que recebeu nesta onda que abriu a bateria.

A pressão ficou para o australiano, que não começou bem, errando as primeiras manobras nas ondas. Só quando faltavam 12 minutos para o término da bateria, achou uma direita que abriu para ele mandar uma série de manobras com velocidade e arrancar um 9,43 dos juízes. A torcida brasileira que compareceu em grande número na lotada Snapper Rocks no domingo, vaiou o exagero da nota que acabou decidindo o título do Quiksilver Pro.

Mineirinho ainda virou o placar com o 6,43 que recebeu na onda seguinte, no entanto o australiano respondeu com uma nota exatamente igual para abrir 7,87 pontos de vantagem a 5 minutos do fim. O brasileiro passou a arriscar os aéreos de entrada, errou a manobra duas vezes seguidas, mas na terceira acertou um rodando muito alto, só que era uma onda intermediária meio espumada que não rendeu nenhuma outra manobra.

A praia ficou em suspense. Taj Burrow ainda pegou uma última onda, mas foi fraca e saiu primeiro do mar sem saber o resultado. O locutor do evento começou a divulgar as notas de cada juiz quando Mineirinho ainda estava voltando no jetski. A primeira foi 7,5, a segunda também e ele desanimou baixando a cabeça. Nenhum deu os 7,87 pontos que ele precisava. Dois chegaram perto com 7,80 e um achou que merecia 7,0, com a média ficando em 7,6 e o placar encerrado em 15,86 x 15,60 pontos.

"Estou muito feliz", vibrou Taj Burrow. "Eu tive um evento muito bom no ano passado, mas perdi a final para o Kelly (Slater). Então hoje, quando vi que era contra o Adriano (de Souza), fiquei muito nervoso. Ele me bateu na final no Brasil no ano passado, é realmente um adversário difícil e, para ser honesto, eu não gosto de competir contra ele. Havia um peso muito grande nos meus ombros nessa final, então é muito gratificante sair por cima".

BURROW X ADRIANO - Este foi o décimo duelo entre os dois no ASP World Tour e a vantagem é grande para o australiano com sete vitórias. Só na Gold Coast foram cinco baterias com essa final e Taj Burrow ganhou quatro. E ele também saiu inconformado do mar quando perdeu para Adriano de Souza a decisão do título do Billabong Rio Pro na Barra da Tijuca igualmente lotada no ano passado. O troco veio na mesma moeda, apesar da torcida brasileira ter comparecido em peso em Snapper Rocks.

"Claro que sempre queremos vencer, mas estou contente pelo resultado aqui hoje", disse Adriano de Souza. "Foi uma final surpreendente. No ano passado, o Taj (Burrow) e eu tivemos uma grande bateria aqui também, foi uma das melhores da minha vida e ele ganhou também. É incrível estar no pódio aqui novamente. Em 2009, era eu e o Joel (Parkinson), agora com o Taj, é um bom resultado para começar o ano e estou feliz por estar de volta aqui".

Os 26 décimos da diferença no placar da final na Gold Coast custaram 45 mil dólares e 2.000 pontos para Adriano de Souza. Isto porque a vitória no Quiksilver Pro valeu 75 mil dólares e 10.000 pontos para Taj Burrow, com o vice-campeão ficando com 30 mil dólares e 8.000 pontos. Além de liderar o primeiro ranking do ASP World Title Race 2012, o australiano saltou do 96.o para o segundo lugar no ranking mundial unificado da ASP que continua com o brasileiro Miguel Pupo na frente.

PRÓXIMAS ETAPAS - Também na Austrália serão realizadas as próximas etapas valendo pontos para o ASP World Ranking, que classifica dez surfistas para a elite dos Top-34. Nos dias 12 a 18, tem uma do ASP 6-Star de 3.500 pontos em Newcastle e de 20 a 25 de março uma do ASP Prime de 6.500 pontos em Margaret River.

O defensor do título do Quiksilver Pro, Kelly Slater, foi barrado ainda nas quartas de final pelo australiano Josh Kerr. Agora fica a dúvida se ele vai participar de todo o circuito e se ainda terá disposição para buscar um 12.o caneco de campeão mundial com seus 40 anos de idade completados em fevereiro. O segundo desafio do ASP Dream Tour 2012 é o Rip Curl Pro em Bells Beach, nos dias 03 a 14 de abril em Victoria.

TETRACAMPEÃ - No feminino, a tetracampeã mundial Stephanie Gilmore certamente vai tentar conquistar mais um, principalmente após o seu igualmente quarto título no Roxy Pro Gold Coast. No domingo, ela começou o dia com uma vitória espetacular sobre a vice-campeã mundial Sally Fitzgibbons. Depois também surfou boas ondas para derrotar Laura Enever na final e faturar os 15 mil dólares e 10.000 pontos da vitória em Snapper Rocks.

A atual campeã mundial Carissa Moore perdeu nas quartas de final, assim como a cearense Silvana Lima, com ambas largando em quinto lugar no ASP Women´s Tour 2012. A australiana Tyler Wright derrotou a havaiana número 1 do mundo que defendia o título do Roxy Pro e dividiu o terceiro lugar com Sally Fitzgibbons. Já a peruana Sofia Mulanovich ficou em nono e a catarinense Jacqueline Silva em 13.o no primeiro ranking do ano.

FINAL DO QUIKSILVER PRO - 15,86 x 15,60 pontos:
Campeão: Taj Burrow (AUS) com notas 9,43 e 6,43 - US$ 75.000 e 10.000 pontos
Vice-campeão: Adriano de Souza (BRA) com 8,00 e 7,60 - US$ 30.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS - 3.o lugar - US$ 17.500 e 6.500 pontos:
1.a: Adriano de Souza (BRA) 14.16 x 13.57 Josh Kerr (AUS)
2.a: Taj Burrow (AUS) 15.56 x 14.20 Jordy Smith (AFR)

QUARTAS DE FINAL - 5.o lugar - US$ 13.750 e 5.200 pontos:
1.a: Adriano de Souza (BRA) 16.43 x 13.73 Owen Wright (AUS)
2.a: Josh Kerr (AUS) 14.43 x 13.04 Kelly Slater (EUA)
3.a: Jordy Smith (AFR) 15.56 x 11.30 Joel Parkinson (AUS)
4.a: Taj Burrow (AUS) 16.86 x 15.97 Adrian Buchan (AUS)

ASP WORLD TITLE RACE 2012 - 1 etapa:
01: Taj Burrow (AUS) - 10.000 pontos
02: Adriano de Souza (BRA) - 8.000
03: Josh Kerr (AUS) - 6.500
03: Jordy Smith (AFR) - 6.500
05: Kelly Slater (EUA) - 5.200
05: Joel Parkinson (AUS) - 5.200
05: Owen Wright (AUS) - 5.200
09: Michel Bourez (TAH) - 4.000
09: Julian Wilson (AUS) - 4.000
09: Heitor Alves (BRA) - 4.000
09: Miguel Pupo (BRA) - 4.000
13: Raoni Monteiro (BRA) - 1.750
25: Alejo Muniz (BRA) - 500
25: Gabriel Medina (BRA) - 500
25: Jadson André (BRA) - 500

FINAL DO ROXY PRO GOLD COAST:
Campeã: Stephanie Gilmore (AUS) com 16,37 pontos (9,20+7,17) - US$ 15.000 e 10.000 pontos
Vice-campeã: Laura Enever (AUS) com 14,20 pontos (7,77+6,43) - US$ 9.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS - 3.o lugar - US$ 7.500 e 6.500 pontos:
1.a: Laura Enever (AUS) 16.70 x 16.17 Tyler Wright (AUS)
2.a: Stephanie Gilmore (AUS) 18.30 x 15.00 Sally Fitzgibbons (AUS)

João Carvalho - Assessoria de Imprensa da ASP South America
(48) 9988-2986 - joao@aspsouthamerica.com.br


todos os programas

todas as notícias

Anterior
1 |  2 |  3 |  4 |  5 
Próxima