AGUARDE
16 março 2016

Wilko faz a festa na Austrália

Após dois anos de domínio brasileiro, australianos voltam a vencer na Gold Coast

Nem o melhor roteirista poderia imaginar um final desse. Após apresentações contundentes e deixando para trás grandes nomes do surfe mundial, o irreverente australiano Matt Wilkinson superou na decisão da etapa de Snapper Rocks e primeira da temporada de 2016, o norte-americano Kolohe Andino, pelo placar de 14,20 contra 13,66.

Mas antes de chegar a bateria final do último e decisivo dia na Costa Dourada australiana, Wilko teve algumas pedreiras pelo caminho, como o atual campeão mundial, Adriano de Souza nas quartas de final e ninguém menos do que o até então melhor surfista do campeonato, Filipe Toledo. Contra Adriano, o australiano começou melhor com uma nota 6,83, mas pouco depois o brasileiro respondeu com um 5,83 e a bateria ficou bem parelha até os instantes finais. Na frente a vinte segundos do fim e sem a prioridade de escolha, Mineirinho teve que assistir o aussie dropar uma boa direita e surfá-la com segurança até o inside. Precisando de 5,91 para virar, Matt Wilkinson cravou 6,33 para avançar a semifinal e enfrentar a também brasileiro Filipe Toledo.

Manobras como essa garantiram a vitória de Wilko - Foto: WSL

Filipinho vinha de uma apresentação segura no embate que abriu o dia contra o australiano e local do pico, Joel Parkinson, até acontecer o inesperado na semifinal contra Wilko. Em sua segunda onda, numa tentativa mal sucedida de aéreo, o brasileiro sentiu uma contusão na virilha, o que visivelmente comprometeu a sua performance ao longo do confronto. Apesar da contusão, o brasileiro não desistiu, chegou a liderar grande parte da bateria, mas no fim o dono da casa levou a melhor. O paulista ficará de fora das próximas duas etapas do Tour, que acontecem nos picos de Bells Beach e Margaret River, também na Austrália.

Filipe Toledo sai contundido da semifinal e ficará de fora das próximas 2 etapas - Foto: WSL

Já na decisão, Wilkinson começou com tudo ao arrancar um 8,60 dos juízes com suas potentes e bem encaixadas manobras de backside. Kolohe Andino por sua vez, não deixou barato e na onda de trás obteve um 6,83 para esquentar a briga. A bateria só voltou a empolgar a cinco minutos do fim, quando Wilkinson pegou a sua segunda melhor onda, reverter o resultado e deixar o americano a 7,38 pontos da vitória. Kolohe, que vinha de boas apresentações e viradas emocionantes nos minutos finais de suas baterias, teve a chance a trinta segundos do fim, mas apesar de se esforçar e executar boas manobras, a onda não tinha potencial e acabou mesmo com o excelente segundo lugar, para alegria de Wilkinson, que festejou sua primeira vitória em etapas do CT.

“Eu comecei o ano com uma vitória na divisão de acesso e vencer este evento aqui é incrível. Eu não esperava isso, mas tinha esperança de vencer. Minha bateria contra o Adriano são aquelas que eu costumo perder. Consegui a nota bem no finalzinho e isso me deu um incentivo e senti que o oceano estava a meu favor. Surfei bem mesmo pressionado e sabia que ainda não tinha pego uma boa onda característica de Snapper Rocks ao longo de todo o evento, e aquela primeira onda da final tive duas ótimas sessões no começou. Estou muito feliz de vencer” - declarou o australiano.

Matt Wilkinson festejando sua primeira vitória na elite do surfe mundial - Foto: WSL

Minha bateria contra o Adriano são aquelas que eu costumo perder. Consegui a nota bem no finalzinho e isso me deu um incentivo, e senti que o oceano estava a meu favor.

Esse foi a segunda final de ambos os surfistas e apenas Matt Wilkinson sentiu o sabor da vitória. Sua outra final na elite foi em Steamer Lane, na Califórnia, em 2012, quando perdeu pra Taj Burrow. Já Kolohe fez final na etapa brasileira em 2014, e na ocasião, foi superado pelo taitiano Michel Bourez. O australiano tornou-se também o terceiro goofy footer a vencer em Snapper Rocks nos 20 anos de história do evento. Os outros dois foram Michael Lowe, em 2004 e o brasileiro Gabriel Medina, em 2014.
Pela vitória, Wilko levou a bagatela de 100 mil dólares e 10 mil pontos na briga pelo título mundial, além de partir para Bells Beach com a cobiçada camisa amarela de líder do circuito. Agora resta saber se o irreverente surfista de Copacabana (sim, a Austrália também tem uma praia que leva o famoso nome da nossa princesinha do mar) vai manter o ritmo, porque surfe o pé ele já mostrou que está em dia.
 
Confira abaixo os melhores momentos do dia decisivo em Snapper Rocks

Resultado Final:

1 - Matt Wilkinson (AUS) 14.20

2 - Kolohe Andino (USA) 13.66

Resultados das semifinais:

SF 1: Matt Wilkinson (AUS) 14.43 def. Filipe Toledo (BRA) 13.27

SF 2: Kolohe Andino (USA) 14.23 def. Stuart Kennedy (AUS) 14.20

Resultados das quartas de final:?

QF 1: Filipe Toledo (BRA) 12.34 def. Joel Parkinson (AUS) 12.16

QF 2: Matt Wilkinson (AUS) 13.16 def. Adriano de Souza (BRA) 12.73

QF 3: Kolohe Andino (USA) 16.00 def. Adrian Buchan (AUS) 4.83

QF 4: Stuart Kennedy (AUS) 15.23 def. John John Florence (HAW) 14.00
Os campeões e vices do CT de Snapper Rocks
2016 - Matt Wilkinson (AUS), Kolohe Andino (EUA)
2015 - Filipe Toledo (SP), Julian Wilson (AUS)
2014 - Gabriel Medina (SP), Joel Parkinson (AUS)
2013 - Kelly Slater (EUA), Joel Parkinson (AUS)
2012 - Taj Burrow (AUS), Adriano de Souza (SP)
2011 - Kelly Slater (EUA), Taj Burrow (AUS)
2010 - Taj Burrow (AUS), Jordy Smith (AFS)
2009 - Joel Parkinson (AUS), Adriano de Souza (SP)
2008 - Kelly Slater (EUA), Mick Fanning (AUS)
2007 - Mick Fanning (AUS), Bede Durbidge(AUS)
2006 - Kelly Slater (EUA), Taj Burrow (AUS)
2005 - Mick Fanning (AUS), Chris Ward (EUA)
2004 - Michael Lowe (AUS), Andy Irons (HAW)
2003 - Dean Morrison (AUS), Mark Occhilupo (AUS)
2002 - Joel Parkinson (AUS), Cory Lopez (EUA)

Tags:
COMPARTILHAR