AGUARDE
21 setembro 2017

Sebastian Ribeiro é vice-campeão nas Ilhas Maurício

Kitesurfista carioca perdeu para o australiano Keahi de Aboitiz

Entre os dias 6 e 16 de setembro, o paraíso das Ilhas Maurício foi palco da última etapa do circuito mundial de kitewave strapless, evento promovido pela GKA, Global Kitesports Association. O Brasil contou com alguns participantes como a carioca e vice-campeã em 2016 Milla Ferreira e o atual campeão brasileiro dessa modalidade, Sebastian Ribeiro. Apesar de não terem levado o título, os dois foram muito bem na competição. Começando pelas meninas, a filha de Francisco Ferreira, o Frajola, e irmã de Filipe Ferreira, o Frajolinha, chegou até a semifinal do evento, mas acabou perdendo para a havaiana Moona Whyte na single elimination e terminou com a quinta posição geral no ano. Por falar na havaiana, a kitesurfista do North Shore da ilha de Oahu teve motivos de sobra para comemorar. Isso porque ela derrotou a alemã Ninja Bichler na grande decisão e sagrou-se não só campeã do evento como também da temporada 2017. 

Entre os homens, o evento nas Ilhas Maurício foi ainda mais especial, já que teve brasileiro no pódio com Sebastian Ribeiro chegando até a finalíssima do campeonato. O kitesurfista do Rio de Janeiro usou toda a sua habilidade nas ondas cristalinas do lugar e abusou das manobras de backside para ficar com o vice-campeonato nas Ilhas Maurício.

“Na minha primeira bateria das classificatórias, eu peguei uma boa onda, e aí eu perdi minha quilha. Então eu tive que competir o resto da bateria sem quilha. E no evento principal eu encarei alguns caras renomados como Paulino (Pereira) e Airton (Cozzolino). Mas eu adoro surfar de backside, então talvez por isso eu tenha ido bem aqui”, confessou Sebastian.

 

Frame / Sebastian Ribeiro

O brasileiro perdeu para australiano, que mostrou uma das melhores performances de toda a carreira e terminou o ano na terceira colocação. Na luta pelo título de 2017, o italiano Airton Cozzolino e o kitesurfista do Cabo Verde Matchu Lopes brigaram até o fim, mas mesmo com a quarta posição no evento, Airton levou o troféu de campeão mundial de kitewave strapless em 2017 para a Itália e se mostrou satisfeito com o resultado dele esse ano.

“Eu estava muito pressionado esses dias, mas eu fiz o meu trabalho, sabe? E estou estou muito amarradão de ser campeão mundial. Eu tenho trabalhado há mais de seis anos, então estou muito amarradão”, revelou o campeão mundial de 2017

Tags:
COMPARTILHAR