AGUARDE
31 julho 2015

Kadu Moliterno e a sua relação com o surfe

Ator desde muito cedo, aprendeu a surfar por causa da sua profissão e nunca mais parou.

Carlos Eduardo Moliterno, conhecido como Kadu Moliterno é um ator brasileiro que está no ar desde 1970 e já tem no seu currílo 4 filmes, 7 seriados, 4 minisséries e mais de 30 novelas. Nascido e criado em São Paulo, veio para o Rio de Janeiro ainda jovem para ser ator, aprendeu a surfar e nunca mais saiu daqui.

Disse que surfava desde criança, que a prancha andava no carro, e assim eu ganhei o papel, aprendi a surfar e nunca mais parei.

O ator veio para o Rio em busca de um sonho.

O ator veio para o Rio em busca de um sonho.

- Saúde para você sempre foi fundamental?

Eu sou filho de um professor de tênis; eu vim do esporte. Nasci dentro de um clube, praticamente. Ali pratiquei natação, fui campeão paulista; fiz ginástica olímpica, participei de apresentações em todo país, com seis ou sete anos. Então a minha formação foi sempre no esporte, joguei handbol também, basquete. Eu sempre tive muita raça e muita gana, até hoje, sem parar.

- Você virou surfista no Rio de Janeiro por causa da novela ou foi ao contrário?

Eu pegava jacaré, em Santos, nas minhas férias. E eu vim para o Rio por conta de uma peça de teatro, eu devia ter 17 anos. E o diretor Avancini me chamou para fazer uma novela e me perguntou se eu surfava. Disse que surfava desde criança, que a prancha andava no carro, e assim eu ganhei o papel, aprendi a surfar e nunca mais parei.

- Você ajudou a escrever o “Armação Iimitada” com André De Biazi, que foi um sucesso por vários motivos. Como foi?

Ele, na verdade, já tinha feito “O Menino do Rio”. Eu encontrei com ele surfando e entre uma onda e outra nós decidimos fazer algo juntos e eu levei a ideia para o Daniel Filho. Com o tempo reunimos uma equipe e isso saiu do papel.

Os surfistas Juba e Lula em Armação Ilimitada.

Os surfistas Juba e Lula em Armação Ilimitada.

- Agora o “Armação Ilimitada” está com um projeto de filme?

Tem um roteiro muito bom, que foi escrito por uma portuguesa e caiu no nosso colo. A trama conta a história de dois amigos que se encontram depois de 30 anos e se envolvem em uma última aventura. O longa casou muito bem com “Juba” e “Lula”.

Tags:
COMPARTILHAR