AGUARDE
18 maio 2018

Filipe Toledo reencontra a glória em Saquarema

A sexta-feira amanhaceu com muita expectativa em relação a condição do mar, porém mais uma vez o Maracanã do surfe brasileiro não decepcionou o gerou condições clássicas para o último e decisivo dia do Oi Rio Pro 2018. Nas quartas de final repleta de brasileiros, o virtual campeão do evento Filipe Toledo foi o primeiro a entrar na água contra o norte-americano Kolohe Andino e logo em sua primeira onda arrancou um 7,67 dos juízes, que lhe deu tranquilidade para administrar a bateria e seguir confiante para as semifinais. Na sequencia, Julian Wilson dominou o duelo contra o cearense Michael Rodrigues, que terminou com a quinta colocação, assim como Gabriel Medina, que não se encontrou no embate diante o australiano e estreante na elite, Wade Carmichael. Finalizando as quartas, Ezekiel Lau aproveitou as oportunidades que teve para passear por dentro dos canudos da Barrinha e eliminou o brasileiro Yago Dora.

Filipe Toledo arrancou 9.93 dos juizes na final / Foto: Eugenio Sarmento

Na primeira semifinal e empurrado pela torcida, que lotou as areias da praia de Itaúna, Filipe Toledo não deu chances para o atual numero um do mundo Julian Wilson. Com uma leitura perfeita das direitas pesadas da Barrinha, Filipinho andou por dentro dos tubos e ainda acertou um aéreo alto para levantar a torcida e conquistar um expressivo 8,67 pontos. Mas o melhor, ele deixou guardado para a decisão, onde enfrentou o estreante australiano Wade Carmichael, que na semifinal contra Ezekiel Lau, mostrou muita categoria e explosão para superar o havaiano sem grandes dificuldades.

 Torcida atenta durante a final / Foto: Marcelo Luccas

Com a praia lotada e 100% ao lado de Filipe Toledo, o brasileiro retribuiu o apoio com uma apresentação espetacular. Depois de pegar algumas ondas fracas, o local de Ubatuba encontrou uma direita no meio do caminho de volta para o outside e engatou a sexta marcha para sair de um tubo bizarro, levando a torcida ao delírio com a nota 9,93! A essa altura, Carmichael já estava em combinação de notas e sua situação ficou ainda mais complicada quando o brasileiro achou outra onda um pouco mais embaixo do pico para cravar 7,17 e selar a sua sexta vitória na elite mundial e segunda em águas brasileiras. Já no pódio, Filipinho fez questão de agradecer a todos que estavam ao seu lado e dedicou a vitória ao seu filho Koa, que nasceu a poucos dias.

Tags:
COMPARTILHAR