AGUARDE
15 junho 2016

Até logo, Taj Burrow

Terceiro dia de ação do Fiji Pro é marcado pela estilosa despedida do australiano Taj Burrow e sua "bateria do ano" com o havaiano John John Florence

Finalmente as ondas consistentes voltaram a quebrar na bancada de Cloudbreak, em Fiji, onde a elite masculina da WSL compete a quinta etapa do circuito. A quarta-feira, 15 de junho, foi marcada por performances incríveis e um momento histórico: a aposentadoria do australiano Taj Burrow. Mas antes de falar desse embate que roubou a cena em Fiji, vamos destacar as apresentações do brasileiros.

As ondas estavam com cerca de 2 metros e na primeira disputa do dia, Gabriel Medina exibiu todo seu vasto repertório e passou sem dificuldade pelo australiano Matt Banting. Já no terceiro embate, Filipe Toledo foi eliminado pelo havaiano Dusty Payne em uma bateria de poucas ondas e notas baixas. No quinto duelo dessa quarta-feira, o paulista Wiggolly Dantas ia perdendo para a promessa norte-americana Conner Coffin, mas soube usar a sua prioridade e o yankee acabou cometendo uma interferência, deixando o caminho livre para Guigui.

Gabriel Medina mandou um alley-oop que, para nossa surpresa, não entrou no seu somatório. (Foto: WSL)

Gabriel Medina mandou um alley-oop que, para nossa surpresa, não entrou no seu somatório. (Foto: WSL)

Na sequência, o atual campeão mundial Adriano de Souza fez a maior nota do dia até aquele momento. Depois de entubar duas vezes numa esquerda da série, Mineirinho arrancou uma nota 9,10 e avançou na competição. Em seguida, dois brasileiros, Jadson Andre e Italo Ferreira, ambos do Rio Grande do Norte, duelaram na sétima bateria, que teve final feliz para Jadson. Italo ainda conquistou um 9, a melhor nota do embate, mas não conseguiu trocar sua segunda nota e deu adeus ao Fiji Pro. Nos dois últimos confrontos do dia, Miguel Pupo e Alejo Muniz também se despediram da quinta etapa. Enquanto Miguel perdeu nos minutos finais para o australiano Adrian Buchan, Alejo sucumbiu diante do ainda líder do ranking Matt Wilkinson.

O potiguar Jadson Andre  eliminou seu conterrâneo Italo Ferreira. (Foto: WSL)

O potiguar Jadson Andre eliminou seu conterrâneo Italo Ferreira. (Foto: WSL)

Mas o grande destaque do dia foi, sem dúvidas, a décima bateria da terceira fase. De um lado o havaiano John John Florence, atual seguedo colocado do ranking. Do outro, o australiano Taj Burrow, que competia a sua última etapa da carreira. Parecia que o mar de Fiji sabia da importância desse duelo, e as ondas vieram, assim como as performances impecáveis. Os dois surfistas mostraram habilidade nos tubos de Cloudbreak e trocavam notas altas a todo momento.

Faltando menos de sete minutos para o fim, Taj liderava a bateria até John John sumir num tubo e reaparecer seco. Os juízes lhe deram a virada com um 9,33. O australiano respondeu à altura com um tubo profundo, saindo na baforada, e conquistou um 9,40, mas ainda não era suficiente para superar a potência do príncipe havaiano. Placar final: 18,76 pontos para John John contra 18,60 de Taj. Considerada a bateria do ano, o duelo marcou a despedida de Taj Burrow do circuito mundial, e os dois voltaram para o barco afirmando ter feito um dos melhores embates da vida deles.

Sinto como se tivesse vencido o evento, como se tivesse ganhado um título mundial, confessa o emocionado Taj Burrow

Há quase 20 anos no tour, Taj Burrow se despede do circuito mundial. (Foto: WSL)

Há quase 20 anos no tour, Taj Burrow se despede do circuito mundial. (Foto: WSL)

Tags:
COMPARTILHAR